De tudo que a gente viveu, e tudo que a gente ainda tinha pra viver. Do doce, do amargo, do azedo. Você consegue me levar aos extremos como ninguém. Quem dera ter prestado mais atenção na maneira como você andava na rua, no jeito que você colocava meu cabelo atrás da orelha antes de me beijar. Era pra ser eu e você contra o resto do mundo… Quando foi que se tornou eu contra você? Aonde foi que a gente se perdeu? Eu sempre fantasiei com uma vida diferente. Hoje eu fantasio com você. Com nosso amor, com tudo que a gente tinha. A gente tinha tudo, porra! Como eu me perdi em outros mundos se o nosso era perfeito? É tão difícil admitir isso depois de tudo que aconteceu entre nós. Mas ao mesmo tempo eu quero gritar e contar pra todo mundo o que eu tô sentindo! Eu amarro e enterro as minhas mãos todos os dias pra não pegar o telefone e te ligar, pedindo uma chance pra te fazer feliz de novo. Eu sei que não vai ser você atendendo ao telefone… Tudo que eu fiz, independentemente de ter sido bom ou ruim, errado ou certo, eu fiz pensando em nós. Eu não existia mais sozinha. A minha vida se tornou a NOSSA vida. Eu podia estar brava com você te ouvindo reclamar, ou deitada no seu peito com um sorriso no rosto, assistindo nosso filme preferido. Não importava, era só estar perto de você. Me bastava. Eu tenho tanta coisa pra dizer que não consigo dizer nada. Eu não sei o que você sente em relação à mim agora. Eu não sei mais quem você é… e também não sei se algum dia eu soube.

Encontrei esse texto fuçando nos meus arquivos antigos. Escrever é minha forma de alívio. Como uma válvula de escape. Pego meu lápis e conto pro papel tudo que sinto. Quando termino, me sinto limpa! Como se qualquer dor, preocupação ou ressentimento tivesse desaparecido. Pois é, pode parecer dramático, mas funciona! Hahahaha. Espero que gostem :)